A Difícil Arte de ser Eu, Tu, Ele, Nós, Vós, Eles e o Amargo Gosto da Hipocrisia

17:05 Carolina Rêgo Barros 2 Comentários

Hipocrisia é sinônimo de charlatanice, fingimento, impostura, mentira, falsidade, simulação... A conduta hipócrita é tentadora, viciante, eletrizante, fascinante! Quantas almas honradas acabam por sucumbir ao magnetismo desta feiticeira, realizando pactos com seus tentáculos labirínticos e suas beberagens narcotizantes?

Quero falar de política, sim. Porque quero falar de pessoas, de direitos e deveres, do poder das mistificações, de discursos de ódio, de patrulhas ideológicas, de amizades perdidas, de agressões verbais e físicas, de falta de amor, de falta de respeito, de movimentos oportunistas, de covardia intelectual, de adoráveis bobos da corte viciados no veneno diário da hipocrisia. Quero falar de Eu, de Tu, de Nós, de Vós, de Eles. Da gente. Da nação. Coletivo de pessoas fortes, trabalhadoras, solidárias, amorosas.

No dia seguinte à votação do impeachment registrei minha opinião numa rede social, na postagem de uma pessoa das minhas relações. Era uma conversa, um debate, um diálogo entre pessoas que se conhecem e deveriam se respeitar. Eu, inxirida, resolvo colocar a mão na cumbuca dos outros. Quem mandou? Fui agredida pelo dono da página, pessoa do meu apreço, das minhas relações de amizade:

“Ana Carolina Paiva golpista, parceira de Bolsonaro que defende o estupro de mulheres e torturadores de grávidas!”

Silêncio, desgosto, vazio, desilusão... Engulo, sem saliva, o açoite dado na praça pública virtual. A agressão verbal que fustiga a alma da gente e fica lá, decalcada. O sangue sobe até a face, fervilha lá dentro das veias e a ira, altiva, bota banca de rainha e nos arremessa para fora da gente.Como é que isso é possível? Viraram todos bufões, um séquito de defensores de um estado corrupto e autoritário de um dia para o outro? Artistas, professores, cérebros privilegiados, mentes brilhantes, amigos, queridos, amados... Cedendo com ardor à tentação de propagandear este governo que está aí. Este governo que zomba da República e escarnece da Constituição em nome de um projeto audacioso de poder!Quando o alarme soa, vem a onda que me arrasta, levando o meu quase nada para as profundezas de alguma coisa maior, é lá que eu tomo fôlego para voltar à superfície e respirar. Como é libertadora a sensação da verdade em nós! Da verdade legítima, tão acanhada, esmaecida e solitária. Só esta insignificante senhorinha é mesmo capaz de enfrentar a dama do embuste e seus sofisticados números de prestidigitação. Esta dama atrevida, gabola e sedutora chamada hipocrisia.

Será que no meio de todo esse tiroteio marcado por frases equivocadas, rasas, destrutivas, que se esquivam de imergir na profundeza das ideias, não existe um espaço para questionarem por que será que o futuro da República brasileira estava sendo resolvido num quarto de hotel por um ex. presidente? O medo da quebra de contrato com um modelo de governabilidade é capaz de obnubilar uma visão crítica sobre a realidade? Aqueles que asseguram que está em curso um golpe contra um governo eleito legitimamente também não percebem que Luís Inácio Lula da Silva, sem qualquer função no governo de Dilma Rousseff, negociou durante dias cargos públicos antes da votação do impeachment na Câmara dos Deputados com os mesmos deputados que votaram a favor do impeachment? Muitos destes deputados deveriam ser cassados por corrupção e ausência de decoro parlamentar, isso não se discute. E muitos já estão sendo investigados pela Polícia Federal por estarem envolvidos na Operação Lava Jato, o mar de lama em que se meteu este governo. Um destes deputados, Paulo Maluf, procurado pela Interpol, companheiro de Lula, participou da cerimônia da posse anulada do senhor ex. presidente, para ministro da Casa Civil. Sujeito que não tem moral para votar em nada e que acabou votando pelo impeachment também foi um dos seduzidos por Lula no quarto de hotel para votar contra.

O jogo sujo estava lá, diante de nós. Se o ex. presidente tivesse conseguido aliciar, com malas de dinheiro e cargos públicos, estes mesmos deputados execráveis seriam agora os heróis dos apoiadores do governo de Dilma Rousseff. Alguém duvida disso?

Dilma Rousseff mentiu, Dilma Rousseff cometeu estelionato eleitoral, Dilma Rousseff feriu o inciso VI do artigo 85 da Constituição Federal, desviando pelo menos seis bilhões dos bancos públicos para se reeleger! A presidente da República não se importou nada em expedir uma proposta de orçamento para o congresso contendo um superávit primário de 30 bilhões e no final do ano apresentar um déficit de 120 bilhões. E sabem por quê? Porque a Lei de Responsabilidade Fiscal não representa nada para a presidente, muito menos para o seu partido. Pois é preciso que ela e o seu partido entendam que leis orçamentárias e fiscais existem para que a sociedade possa exercer alguma fiscalização sobre os gastos do dinheiro público.O voto da maioria não torna legítimo qualquer ato do governante eleito. Golpe contra a democracia é inserir decretos secretos no orçamento ou comprar o apoio da base aliada ou arruinar a Petrobrás para aliança com empreiteiros no intuito de vencer as eleições ou tentar interferir no Supremo ou pressionar procuradores ou tentar obstruir a justiça...

Como o impeachment passou na Câmara dos Deputados entra em cena a picaretagem intelectual da esquerda que infelizmente sempre foi, e parece que sempre será, contaminada pelo misticismo e pela hipocrisia. Este comportamento execrável é exibido agora em dois momentos: nas reverberações aos lamentáveis discursos na votação do impeachment e à publicação do perfil da Marcela Temer realizado pela revista Veja.Para os apoiadores do governo de Dilma, como o meu amigo deselegante e arengueiro, aquele que é contra um governo corrupto de esquerda é automaticamente a favor de militares torturadores e de ditadores reacionários. Quanta trapaça! Quanta mediocridade intelectual! Quanta tramoia argumentativa!

E já que estamos aqui mesmo, que tal a coragem de falar do uso sujo de vitimização das minorias, rematando com uma dose indigesta de Wyllys, Bolsonaros e afins? 

A esquerda se comporta sempre de modo oportunista, vai sempre na onda do “dividir para conquistar”, mas ninguém pode dizer isso que é taxado de reacionário, de direita, de neoliberal e não sei mais quantos letreiros ofensivos e preconceituosos. Pois então! Lula fez um discurso onde conclamou a deputada Maria do Rosário e suas Mulheres de Grelo Duro e a deputada não achou nada demais nesta frase, achou até tudo uma gracinha. Em nenhum momento se ofendeu e entendeu que era uma frase machista. Mas tentem imaginar o escândalo se esta frase tivesse saído da boca de José Serra. Pensem num escarcéu!

Na boca de Aécio Neves não pegou nada bem a palavra leviana. No debate com Dilma, o candidato do PSDB teve a audácia de dizer esta palavra que significa imprudente, irresponsável. Pois foi suficiente para o ministro petista Jaques Wagner, ao lado do coro de defensoras do PT, não exatamente das mulheres, acusar Aécio Neves de xingar a presidente de mulher da vida. Não é notável como o PT e as esquerdas têm sempre um peso e duas medidas? 

O feminismo tem realmente a ver com o direito das mulheres? Com suas escolhas? Pois não parece. Se parece mesmo é com mais uma bandeira das esquerdas, que quer levar para dentro de casa e da família o conceito de luta de classes e o que é mais deprimente: se propõe a espalhar uma onda de rancor, inveja e ódio contra homens e mulheres conservadores, não se importando nada com as mulheres em geral. Por que Marcela Temer não pode ser do lar? Não foi uma escolha dela? A mulher não pode mais escolher ficar em casa cuidando da família que logo é agredida, estigmatizada, ridicularizada e taxada de machista. Isso não parece ódio? Não é rancor?
O feminismo, desgraçadamente, se parece mais com um movimento que não respeita as diferenças e com a ramificação de um sistema autoritário de ideias. 

Este é o feminismo oportunista que nada mais é que propaganda das esquerdas e não está nem aí para o real direito das mulheres já que não aceita e até ridiculariza o fato de uma mulher optar por ser do lar, mas aceita que uma mulher use burca por ordens do marido e tolere outras esposas, também por ordens do maridão. E sabe por quê? Porque o Islamismo faz parte das minorias oprimidas pelo grande vilão da humanidade: o homem branco heterossexual cristão do Ocidente. Alguém já viu uma feminista mostrar os peitos para um aiatolá de turbante?

Finalmente, quero registrar algumas linhas sobre os deploráveis discursos dos deputados federais na votação do impeachment. Discursos rasos, ridículos, pouco inteligentes, autoritários e violentos. Sim, sou uma pessoa barroca, que aprecia adjetivos!

Um deputado de direita pode louvar um torturador? Não! Não pode! Um deputado de esquerda pode cuspir na cara de um deputado de direita que louva as glórias de um torturador? Não! Não pode! Bolsonaro é um sujeito detestável politicamente que só abre a boca para dizer disparates abomináveis. Jean Wyllys é um fanfarrão, um covarde, um irresponsável. Ambos se alimentam um do outro e deveriam ser cassados o mais rápido possível.

Ocorre que a OAB do Rio de Janeiro vai entrar com um processo de cassação contra o deputado Jair Bolsonaro, mas ninguém até agora entrou com processo contra Jean Wyllys que não agiu com decoro parlamentar quando cuspiu na cara do outro. Cuspe não é argumento, caríssimo Jean Wyllys!

Contudo, entretanto, todavia, as esquerdas são sempre absolvidas e justificadas porque carregam o imaculado baluarte da benevolência para com os oprimidos. Papo para boi dormir! Ai meus sais! Já não aguento com tanta charlatanice!

Na mesma votação que passou o pedido de impeachment, alguns deputados de esquerda como Glauber Braga do PSOL e Valmir Assunção do PT renderam homenagens ao terrorista Carlos Marighella, autor de um manual do guerrilheiro com capítulo especial sobre execuções, que usava carros bombas que explodiam inclusive civis. Citaram ainda o assaltante de bancos, assassino e sequestrador Carlos Lamarca, que matou lentamente, junto com seu grupo, o tenente da PM Alberto Mendes Júnior com coronhadas de fuzil, após tortura-lo. Todos estes senhores homenageados foram certamente inspirados pelo imaculado Che Guevara que fuzilava mulheres grávidas e adolescentes, era homofóbico e racista. Mas era líder da Revolução Cubana, então tá tudo certo!

Os inimigos do PT não se resumem mais a ideólogos de direita. E sabem por quê? Porque o PT não tem mais qualquer credibilidade. Tornou-se um patético instrumento de gerar mistificações e renda para o partido e sua corte de apaniguados. Porque tratou pobre como mendigo e não realizou políticas verdadeiras para os mais pobres como saneamento básico, educação, saúde. Porque nunca se interessou de verdade pelo Brasil, porque tratou corrupto como herói. Porque bajulou ditadores e grandes empreiteiros, porque afastou toda a possibilidade de investimento internacional e fechou a nossa economia. Porque encheu o ministério de pessoas despreparadas somente para realizar conchavos políticos, inventando mentiras e gastando sem responsabilidade na cupidez de se reeleger mais uma vez e mais uma vez e mais uma vez!

Está aí o resultado: a depressão econômica, o assombro da inflação, o desemprego no infeliz patamar de dez milhões. Todo este péssimo prognóstico para o futuro do Brasil que deságua num mar pútrido de lama e corrupção. 

Quero que o meu amigo arengueiro saiba que não estou nada contente com o fracasso deste governo que ele defende com tanta idolatria, que me encontro absolutamente abatida com toda essa desventura que acomete o Brasil. E queria, de verdade, que tivesse dado certo, mas não dá para continuar defendendo traidores da pátria!




2 comentários:

  1. Ufa! Fiquei com taquicardia, tal a rapidez do ritmo da tua indignação. A rapidez de um tapa na cara. Um susto inicial com a absurdez da resposta de teu amigo e, em seguida... o tá tá rá tá de uma metralhadora de verdades e observações acuradas. Vou sair daqui e me meter numa biblioteca. Faltam-me algumas informações. Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. Que lucidez corajosa e desassombrada, que energia imparável, que saudável capacidade de se indignar, de se revoltar com a duplicidade moral, a hipocrisia, o oportunismo farisaico desses autoritários estatólatras que se deleitam ao espelho perguntando-lhe "Espelho, espelho meu, quem é mais esquerdista do que eu...?" Como esses "puros" no seu incomensurável amor "pela humanidade" são sempre lestos a atirar pedras pelas costas às pessoas simples,concretas, quotidianas que não se servem do dinheiro dos impostos como eles, que se recusam a engrossar a tropa acrítica e amoral que enxameia as universidades e "empregos públicos" sorvendo bolsa atrás de bolsa, privilégio atrás de privilégio, tudo pago com o dinheiro dos outros, principalmente dos pobres que clamam defender...! Como entram em delírio de auto-perpetuação narcísica na perseguição patrulheira aos que simplesmente perguntam, questionam, tentam delinear um ponto de vista e convidar os outros ao exercício do pensamento crítico... Como a mancha de óleo viscoso da visão auto-denominada "progressista" acalenta os criadouros dos ovos da serpente do totalitarismo... Como os que literalmente agora cospem nos que não prestam vassalagem ao pensamento único albergam na sua grosseria um pequeno ditador ressabiado, um algoz frustrado que sonha com o brilho da lâmina da guilhotina... Continua assim, Ana Carolina, continua corajosa, combativa, imparável. Relembro o que um senhor idoso, participante numa das indignações públicas recentes em Copacabana contra a captura do estado pelo totalitarismo "de esquerda", mostrava num pequeno cartaz manuscrito por ele : "Não é ódio, não. É nojo!"

    ResponderExcluir